Projeto Renasce Brasil
Artigos e propostas do Projeto Renasce Brasil

Proposta de educação informal através da TV

Última atualização em 29/01/2017

Além de reformular o sistema de educação convencional, o Governo brasileiro poderia implantar um programa de educação informal através do rádio e da TV. Precisamos popularizar os conhecimentos básicos relacionados à cidadania, à saúde, ao bom comportamento humano e à eficiência em geral. Sabemos que a televisão exerce forte influência em uma sociedade. Essa característica, no entanto, precisa ser mais bem aproveitada em nossa nação. O Brasil ainda é um país em desenvolvimento e a maioria do povo ainda não absorveu os conhecimentos necessários para o progresso e para a boa socialização dos cidadãos. Por isso, o rádio e a televisão deveriam reservar alguns minutos para utilizá-los de maneira exclusivamente educativa, visando suprir essa fragilidade cultural da sociedade brasileira.

Na proposta do Projeto Renasce Brasil, o governo deveria baixar um decreto requisitando 20% do tempo de programação de cada emissora de rádio e TV. Embora pertencesse ao Governo, esse tempo seria utilizado pelas próprias emissoras, mas com programações exclusivamente educativas, orientando os cidadãos em questões importantes como, por exemplo:

  • Higiene física, higiene alimentar e higiene ambiental.

  • Medicina preventiva, saúde básica e nutrição saudável.

  • Respeito ao próximo, respeito às leis e reverência aos pais e aos mais velhos.

  • Como educar os filhos com amor, correção e disciplina.

  • Direitos e deveres da sociedade e conseqüências da marginalidade.

  • Organização social e política, do país e do mundo.

  • Leis básicas do cotidiano e leis de trânsito com suas punições.

  • Prudência e segurança no lar, no trabalho e no trânsito.

  • Relações trabalhistas, comerciais, e tarifas públicas.

  • Empreendedorismo, economia familiar e de pequenos negócios.

  • Esclarecimentos sobre males sociais como: alcoolismo, vícios diversos, prostituição, etc.


Os 20% de programação educativa seriam contabilizados como parte dos impostos das emissoras de rádio e TV. As emissoras deixariam de pagar seus impostos com dinheiro e passariam a pagá-los com produção e transmissão de programas educativos.

Se a produção dos programas ficar a cargo das próprias emissoras, elas se preocuparão em garantir criatividade e boa qualidade principalmente para obter bons índices de audiência e, conseqüentemente, atrair patrocinadores.

Se considerarmos como 20 horas, a média de programação diária das emissoras de rádio e TV, então 20% corresponderiam a 4 horas diárias. Essas 4 horas, de programação educativa, seriam fiscalizadas e avaliadas pelo setor de controle de qualidade das comunicações e expressões, do governo, que está sendo proposto no capítulo 14 do livro Renasce Brasil

A distribuição deste tempo educativo poderia ser inicialmente da seguinte maneira:

  • Seis minutos, a cada hora, distribuídos a critério de cada emissora. As mensagens seriam curtas, do tipo propaganda, ensinando e esclarecendo crianças e adultos sobre os assuntos já mencionados anteriormente. (Isso totalizaria 2 horas de transmissão diária).

  • As outras 2 horas seriam divididas em 5 programas de 24 minutos cada um, distribuídos da seguinte forma: - um na parte da manhã visando especialmente a criança - dois na parte da tarde visando o adolescente e a mulher do lar - um no "horário nobre" visando o adulto em geral - e o último após a meia noite (madrugada) direcionado ao esclarecimento da marginalidade, das deformações de comportamento e da conseqüente perda da liberdade física e/ou emocional, que estão associadas às drogas, distúrbios sexuais, violências descontroladas, etc....

Os programas deveriam ser diários e, obrigatórios, em todas as emissoras "abertas" respeitando-se a liberdade de produção conforme conviesse a cada uma delas. O importante, na verdade, é satisfizer o objetivo de educar e esclarecer corretamente a toda a população, dentro de um código de ética, moral e decência estabelecido pelo setor de controle de qualidade das comunicações e expressões, proposto no capítulo 14 do livro Renasce Brasil.

Com este projeto, as emissoras de rádio e TV pagariam seus impostos com produção e transmissão educativa. Tal método evitaria falcatruas tributárias e garantiria 4 horas diárias de programação realmente útil à população.

Um detalhe muito importante é que a produção destes programas não pode ficar a cargo de instituições governamentais. Essa recomendação é para evitar que esses programas se tornem objeto de manipulação política ou fiquem descomprometidos com a boa qualidade e com um bom nível de audiência. Só os temas devem ser elaborados, pelo Governo, por intermédio dos seus ministérios e secretarias. Os detalhes de produção devem ficar a cargo das próprias emissoras.

Se colocarmos essa ideia em prática, as nossas emissoras de rádio e televisão poderão se transformar em grandes instrumentos de edificação da sociedade brasileira.

Extraído do Livro Renasce Brasil capítulo 11 - download gratuito
continuar lendo

Autor: Valvim Dutra

Copyright - A republicação dos artigos deste site é permitida desde que citada a fonte com um link para a página original.

Nota: Este artigo é a expressão do pensamento e opinião pessoal do autor, resguardada e protegida pelo direito constitucional inviolável da liberdade de expressão no Brasil. O autor é o único responsável pelas ideias e opiniões expressas acima.

Link Patrocinado
« Artigo anterior: O Estado brasileiro é benfeitor ou predador?
» Próximo artigo: Feminismo ou Machismo? - Matriarcado ou Patriarcado?
Menu de Navegação
Projeto Renasce Brasil
»
Artigos do Projeto Renasce Brasil
Importante: Os anúncios tipo links patrocinados são publicidades externas, automatizadas, e eventualmente podem não refletir os objetivos e ideais deste site.
☰ Menu ⇅
voltar ao topo ↑